Quem Somos

Em 27 de Janeiro de 1925 o bispo da época, Dom José Pereira Alves, apresentava um novo currículo escolar para o Seminário de São Pedro. Esse currículo encontra-se redigido no livro de crônicas da seguinte maneira:

Curso preparatório (correspondente ao Seminário Menor)

1º Ano 2º Ano 3º Ano 4º Ano

Português

Francês

Latim

Aritimética

Catecismo

Português

Francês

Latim

Aritimética

Catecismo

Português

Latim

Geografia

História do Brasil

Álgebra

Curso de Religição

Latim

História Universal

Geografia

Geometria

História Sagrada

Curso de Religião

Curso de Filosofia (Correspondente ao Seminário Maior)

1º Ano 2º Ano

Filosofia

Física

Apologética

Filosofia

História Natural

Apologética

Literatura

Curso de Teologia

1º Ano 2º Ano 3º Ano 4º Ano

Dogma

História Eclesiástica

Eloquência Sagrada

Sociologia

Dogma

Moral

Escritura Sagrada

Liturgia

Dogma

Moral

Direito

Escritura Sagrada

Sociologia

Dogma

Direito

Escritura Sagrada

Pastoral

Sociologia

Liturgia

Mesmo com todo esforço, segundo o livro de crônicas de 1925, o Seminário é fechado no final deste ano por motivos financeiros e falta de meios adequados para a formação intelectual dos seminaristas. Foi reaberto no início de 1926, mas em 21 de março, após a missa dominical é novamente fechado, conforme telegrama recebido pelo Reitor no dia 7 de março. O telegrama dizia: "Agradeço querido amigo sua dedicação pt Ouça Cônego Dantas a quem telegrafei fechando provisoriamente Seminário. Bispo de Natal" (Dom José Pereira Alves, encontrava-se no Rio de Janeiro). No mesmo dia o Côn. Estevão Dantas –encarregado do Bispado na ausência do Bispo – recebeu o seguinte telegrama: "Feche provisoriamente Seminário pt Escreva Arcebispo e Reitor Paraíba pedindo aceitar seminaristas..." Tendo obtido resposta positiva do Arcebispo da Paraíba, todos os alunos foram transferidos para o Seminário de João Pessoa, outros para o Seminário da Prainha em Fortaleza, São Paulo e Belo Horizonte.

No ano seguinte, em 1927, foi reaberto com o retorno dos seminaristas para Natal. Os seminaristas foram para as dependências do Colégio Diocesano Santo Antonio. Mas, por falta de melhores condições de funcionamento nesse lugar, foi transferido para a residência episcopal situada à rua Cel. Bonifácio (atual Santo Antônio) ficando no Colégio apenas o dormitório dos seminaristas. Naquele mesmo ano Dom José Pereira Alves, vendo que o Seminário encontrava-se em precárias condições, conseguiu com o Governador José Augusto que os seminaristas fossem residir num prédio do Estado, onde hoje funciona o Aero-Clube na Av. Hermes da Fonseca. Como Natal não era ainda Arquidiocese o Seminário ficou apenas com o ginasial, o Seminário Maior foi fechado, por determinação da Santa Sé, como aconteceu com outros seminários sediados em pequenas Dioceses. Só as Arquidioceses naquela época poderiam ter Seminário Maior. A partir desse fato, penas o Menor continuaria a funcionar até a reabertura do Seminário Maior que aconteceria 50 anos depois.

Desenvolvido por Mix Internet