Quem Somos

Nova etapa do Seminário de São Pedro após fechamento da divisão dos Maiores

Em 1928, "não obstante ter Dom José Pereira Alves tentado a doação deste prédio para a Diocese", o Governador Juvenal Lamartine de Faria o pediu de volta. Nessa ocasião, retornou ao Colégio Santo Antônio e era Reitor o Côn. João da Matta.

O prédio definitivo do Seminário, ou como era chamado: chácara do Tirol, muitas vezes mencionado em diversos escritos como um patrimônio histórico, foi construído em 1930 por Dom Marcolino Dantas, 4º Bispo de Natal. A fundação do referido prédio que está à Av. Campos Sales, 850 – Tirol, ocorreu a 3 de outubro daquele ano com o início de sua construção sob a direção do Engenheiro Dr. Otávio Tavares a qual foi encerrada em 1933, após um árduo trabalho do mencionado Bispo.

Sobre este esforço de Dom Marcolino, o historiador Itamar de Souza no seu artigo diz o seguinte: "O Cel. Rosendo Fernandes de Oliveira, residente em Carnaúbas, ofereceu todo o mosaico para a capela do Seminário no valor de 2:000$000; o Sr. Jonas Gurgel, prefeito daquela cidade, doou o mosaico para a sala de visitas.

As doações feitas por pessoas de Natal foram inúmeras. Assim, quando estava à frente da Prefeitura de Natal, o Dr. Dias Guimarães ofereceu os paralelepípedos e meios-fios para a entrada do prédio, que se estende do portão da balustrada até à escadaria do acesso principal. O Dr. Omar O’Grady, proprietário da Serraria Industrial, doou a grande porta da entrada. Por fim, a Companhia Lloyd Brasileiro, por meio do seu agente nesta cidade, Sr. Odilon Garcia, auxiliou a construção transportando gratuitamente, do Pará para Natal, cartoze milheiros de telhas francesas para a cobertura do Seminário".

Algum tempo após o término da construção do prédio, em agosto de 1933, esteve em visita Apostólica no Seminário de São Pedro o Revmo. Mons. Alberto Pequeno. Resultou daí, novamente a transferência de seminaristas do curso superior para Fortaleza. Concluíram os cursos em Natal aqueles que se encontravam nos últimos anos.

Em 1934, por um privilégio e favor concedido pelo Visitador Apostólico, Mons. Manoel Pereira da Cunha Cintra (depois Bispo de Petrópolis), alguns alunos que terminavam sua teologia permaneceram em Natal. Dentre eles: Côn. Jorge O’Grady, Mons. Severino Bezerra e Dom José Adelino. Os demais seminaristas seguiram para outros seminários.

Nessa época, Dom Marcolino Esmeraldo de Souza Dantas anuncia a criação da Obra das Vocações Sacerdotais, com o fim de fomentar nas famílias o interesse pelas vocações sacerdotais; garantir a manutenção de alunos pobres no Seminário, além de adquirir donativos para o Seminário e seminaristas pobres. Os estatutos da O. V. S. foram promulgados no dia do aniversário de fundação do prédio a 3 de outubro de 1940.

Todo o empenho necessário para as melhorias do Seminário eram realizados em diversos setores. Por isso mesmo, em 22 de março de 1950 foram inscritos no Primeiro Ofício de Notas (Cartório de Natal) os estatutos oficiais do Seminário de São Pedro.

A partir de 1958 assumia a Reitoria o Pe. Lucilo Alves Machado, até então Diretor Espiritual. Em sua época surgiu o Ginásio Diocesano, construído no lugar onde estava a antiga casa que seria o Lar sacerdotal, a fim de que fosse uma fonte de renda para a manutenção do Seminário. Foi o primeiro Ginásio misto da época onde dentre os rapazes estudavam também os seminaristas. Funcionou até 1969. Nas dependências do antigo Ginásio encontra-se hoje um órgão do goverono. O Posto São Pedro também foi outro empreendimento criado com a mesma intenção. Lá os seminaristas trabalhavam um turno. A novidade deste posto era que, diferente dos outros, tinha uma sorveteria. Alguns comentários que surgiam, ouvia-se: "o posto do padre venderá gasolina ou sorvete..."?

Anos depois, precisamente no dia 9 de maio de 1963, o Prefeito de Natal, Djalma Maranhão, publicou no Diário Oficial a Lei nº 1325 que reconheci de Utilidade Pública o Seminário de São Pedro, o que aconteceu mediante um projeto de lei do vereador Raimundo Nobre Barreto, pai do então seminaristas Misael Araújo Barreto – atual Reitor da Universidade Potiguar -, aprovado na Câmara dos Vereadores.

Fruto de uma crise vocacional que atingiu muitos seminários do Brasil, o São Pedro novamente fechou entre os anos de 1969 e 1977. Nesta nova etapa do Seminário de São Pedro, faz-se necessário mencionar separadamente as trajetórias do Maior e Menor.

Desenvolvido por Mix Internet